As fracturas do pilão tibial envolvem a articulação distal da tíbia. São fracturas causadas por mecanismos de alta energia, como quedas de altura ou acidentes de viação.
Na presença de lesão articular grave, a reconstrução é de elevada complexidade técnica, pelo que este tipo de fratura é propensa a maus resultados funcionais e complicações.
No caso apresentado, verificam-se 5 grandes fragmentos e múltiplos pequenos fragmentos articulares sem viabilidade.
O estudo e planeamento cuidadosos da fratura são fundamentais para o sucesso do tratamento. Neste caso realizou-se a abordagem através de 2 incisões e preencheu-se o defeito ósseo com substituto, obtendo um óptima redução, fundamental para possibilitar uma boa recuperação funcional.

TUMORES ÓSSEOS

Outras lesões que podem afetar esta região, embora raras, são neoplasias ósseas. Este caso representa uma fratura patológica, com desvio em varo.
Realizou-se o tratamento marginal do quisto ósseo, com preenchimento intra-lesional com polimetilmetacrilato. Salienta-se a correção do desvio angular para evitar a sobrecarga articular e a progressão para osteoartrose.
error: Content is protected !!